Conexões ou percepções?

Um dos aspectos mais importantes de qualquer projeto de serialização é habilitar as integrações de parceiros de forma que proporcionem dados para conformidade com a legislação e idealmente, uma visibilidade de ponta a ponta de sua cadeia de suprimentos. Você precisa garantir a conectividade para seus locais de embalagem/CMOs, distribuição/3PLs, clientes e sistemas internos relevantes.

Portanto, ter uma conectividade boa é vital. Porém, esse não é o único objetivo. Na verdade, a conectividade pode ser um meio para atingir objetivos maiores.

Com certeza você já deve ter visto fornecedores de serialização elogiando suas respectivas “redes de integração prontas para uso” que são projetadas para reduzir cronogramas, complexidades e custos. Uau, parece fantástico, não?  As coisas não são tão simples; o verdadeiro indicador de sucesso está nos dados coletados, criados e trocados entre os sistemas, e não na conectividade em si.

Alguns fornecedores se esquecem de mencionar isso, pois acham que você ficará maravilhado com todos esses pontos de conexão e não fará as perguntas mais importantes a respeito de suas integrações. Portanto, apresentamos a seguir as três perguntas mais importantes a serem feitas ao discutir integrações, conectividade e percepções de dados.

  1. Suas integrações são baseadas no padrão EPCIS da GS1?

A integração entre sistemas não faz sentido se os padrões de dados não forem compatíveis. É por isso que o EPCIS da GS1 é o método de integração mais adotado entre sistemas de serialização de empresas e parceiros. O EPCIS abrange todos os usos necessários para a rastreabilidade de medicamentos e permite que sistemas díspares funcionem usando a mesma linguagem.

A maioria das soluções de serialização prontas para uso voltadas para o mercado farmacêutico não usam realmente o EPCIS, o que significa que os sistemas podem até estar “conectados”, mas eles não estão realmente conversando entre si com um padrão comum. Portanto, se os sistemas ou parceiros mudarem, é possível que você perca a capacidade de se comunicar com eles. A maneira de estar preparado para o futuro e comunicar-se continuamente é usar integrações que se baseiam no padrão EPCIS da GS1. Se o seu fornecedor lhe oferecer conectividade, peça-lhe para mostrar uma prova dos padrões EPCIS para integrações, assim você poderá tomar uma decisão consciente.

  1. Poderei personalizar a forma de usar esses dados?

Suas necessidades de serialização são únicas, da mesma forma que você oferece produtos únicos e tem uma cadeia de suprimentos única. No entanto, as integrações que já vêm prontas para uso limitam seu acesso aos dados porque oferecem somente um conjunto específico de dados de uma maneira patenteada. Elas não podem atender às suas necessidades únicas de serialização nem assegurar o nível de flexibilidade necessário para garantir o valor da serialização no futuro.

Por exemplo, digamos que uma empresa de biotecnologia tem produtos com potência variável conforme o lote e deseja incluir essas informações sobre a potência em um feed de seu parceiro CMO. Com uma integração pronta para uso, não é possível adicionar nem modificar o conjunto de dados, o que limita sua capacidade de gerar relatórios e acessar informações baseadas em dados. Ela é inflexível e limita sua oportunidade de gerar valor de negócios.

Porém, esse valor de negócios é essencial. Alguns fornecedores podem fazer você pensar que a conformidade com a legislação de rastreabilidade é um projeto realizado somente uma vez. Implementar um software e pronto. Mesmo que isso fosse verdade (e não é), você estaria perdendo um grande conhecimento que pode ser vantajoso para seu negócio.

A serialização deve ser tratada como um novo recurso de negócios e uma parte inerente de sua estratégia de gerenciamento operacional e da cadeia de suprimentos daqui para a frente. Você deverá adquirir e implementar a rastreabilidade para atender às exigências legais, mas por que impor limites? Com um mínimo de esforço, você pode ter uma solução muito mais valiosa que servirá sua empresa para muito além da conformidade.

  1. Quanto tempo levará cada integração e quanto custa?

A questão do custo e do cronograma para a serialização é um pouco complexa, porque a resposta depende de uma série de parâmetros variáveis. Porém, é possível detalhar os custos relacionados às integrações com relativa rapidez.

A experiência no setor demonstra que os recursos necessários para realizar as tarefas de integração de TI exigidas entre um parceiro (CMO) e um fabricante são, na verdade, relativamente mínimos. Considere uma integração de CMO típica: a maior parte do trabalho está enfocada em modificar acordos de qualidade, alterar processos de negócios e validar equipamentos e processos no nível do local. Com profissionais da serialização experientes, a prontidão do parceiro e um sistema de serialização corporativo avançado, os componentes técnicos de uma integração de CMO podem ser projetados e implementados em questão de semanas.

Portanto, pergunte isto aos seus fornecedores: se ativar uma conexão é um esforço pequeno, então por que não oferecer integrações que sejam vantajosas para os negócios e suficientemente flexíveis para atender às suas necessidades exatas de serialização?

Serialização farmacêutica para agora e para o futuro
Um bom parceiro de serialização não irá lhe cobrar adicionalmente por cada ponto de integração ou por cada número de série usado. Ele deve entender que a conectividade em si é uma mercadoria. O valor real está nos dados e nos insights extraídos através da conectividade. Dessa forma, procure um parceiro que possa atender às suas necessidades específicas de dados, que ofereça integrações baseadas em padrões com ferramentas flexíveis e que possa mostrar-lhe como obter o máximo de valor a partir dos dados gerados. Não tenha medo de fazer as perguntas difíceis. Valerá a pena, porque você deve receber aquilo pelo que pagou.

Michael Howe, Diretor Executivo da Verify Brand

Publicado originalmente em inglês em:

https://www.securingindustry.com/pharmaceuticals/viewpoint-are-you-getting-connections-or-insights-/s40/a2947/#.Wz-p2dVKiUm