Indústria 4.0: o que é esta nova revolução industrial?

Entramos na 4ª revolução industrial, mais conhecida como Indústria 4.0. Fábricas estão cada vez mais automatizadas, à medida que as máquinas têm a capacidade de analisar e se comunicar umas com as outras e com seus colegas humanos. Interconectividade, automação, machine learning e dados em tempo real, permitiram processos mais rápidos, mais flexíveis e mais eficientes para produzir produtos de alta qualidade a custos reduzidos.

 

Nosso mundo depende cada vez mais da tecnologia, tanto no âmbito pessoal como no profissional. A constante inovação e adaptação às necessidades e demandas do mercado,  acabaram criando dependências à tecnologia. Novas tecnologias surgem todos os dias para melhorar, revolucionar ou até mesmo colocar em risco diferentes setores, como os de viagens, entretenimento, telecomunicações, transportes e, mais recentemente, o mundo bancário, com o surgimento das moedas virtuais. Qual será o efeito a longo prazo desta ruptura digital sobre o que se considera como um setor tradicional? Existem fabricantes resistindo à tecnologia? Há uma herança ou mentalidade que precisa mudar para permitir esse movimento?

 

 

Líderes ou retardatários?

Antigamente, os investidores e empresários sabiam que, para criar um grande império internacional, eles precisavam sacrificar-se durante uma ou duas gerações para criar uma empresa de um tamanho razoável e com maturidade e crescimento suficientes. Porém, isso era antigamente! À medida que avançamos nesta nova era tecnológica, fica cada vez mais claro que esse não é mais um pré-requisito.

Métodos de produção novos, inovadores e não convencionais podem ser criados e implementados todos os dias, mesmo nos setores mais tradicionais. As empresas que baixarem a guarda, mesmo por um breve momento, correm o risco de serem deixadas para trás quando os concorrentes ganharem vantagem através de tecnologias inovadoras. Às vezes, as mudanças dentro de um mercado específico são tão drásticas que é criado um nome para descrever os riscos que empresas correm quando se agarram firmemente a modelos de negócios antigos. Por exemplo, o famoso caso do ex-CEO da Blockbuster, John Antioco, que deixou passar a oportunidade de comprar a Netflix por 50 milhões de dólares em 2000. A Blockbuster faliu em 2010 e a Netflix hoje é uma empresa de 200 bilhões de dólares. Foi assim que surgiu a expressão “ser netflixado”.

Várias tecnologias: são todas necessárias?

O setor de manufatura tem uma lista abrangente de tecnologias novas e emergentes que nos conduzirão à nova revolução industrial. Torna-se um grande desafio entender as oportunidades que elas trazem, a complexidade de utilizá-las em todo o seu potencial, além de saber como navegar dentre o grande número de escolhas que se apresentam. Embora os líderes pareçam se sentir capacitados para explorar as possibilidades da Indústria 4.0, eles permanecem desafiados em relação a tornar o possível em estratégias de negócios tangíveis.

De acordo com os especialistas em gerenciamento de projetos, qualquer empresa que queira adotar essas tecnologias para se preparar para o futuro da manufatura deve seguir uma regra simples: avançar pouco a pouco!

Muitos podem achar vantajoso trabalhar com um consultor ou especialista em seu campo de atividade. Ao longo dos anos, as empresas de consultoria vêm mergulhando de cabeça nessa corrida pela experiência, buscando contratar os recursos mais qualificados. Infelizmente, nem todas as empresas de consultoria são tão qualificadas como deveriam. Algumas dessas empresas encontraram um enorme potencial de negócios sem ter a experiência em manufatura necessária. Portanto, recomenda-se verificar o portfólio dos projetos realizados pelas empresas de consultoria na etapa de pré-seleção. Também é melhor procurar uma empresa que esteja especializada em seu setor. É fácil pensar que cada conceito pode ser simplesmente transferido de um campo a outro, mas é mais complicado do que isso. Na verdade, dependendo do setor, as áreas e processos críticos que podem gerar os maiores ganhos de produtividade são muito diferentes, portanto, certifique-se de encontrar a opção que melhor se ajuste à sua organização.

Muitos termos da moda

Com o surgimento de novas tecnologias e tendências, surge também uma onda de palavras novas e, às vezes, vagas que entram na moda. Isso não surpreende, pois os profissionais de marketing encontram formas criativas de transmitir sua mensagem. O setor de manufatura encontrou uma série de palavras na década de 1990. Na época, os novos processos foram influenciados pelos fabricantes líderes japoneses (Toyota, entre outros). Foi quando conhecemos as ideias inovadoras de Kaizen, Seis Sigma, manufatura enxuta, 5S, Kanban e outras. Os novos nomes e métodos nos pegaram de surpresa e invadiram as operações diárias de empresas de manufatura de todo o mundo. Mas, por que não estamos mais ouvindo falar desses métodos de melhoria da produtividade? O motivo é bastante simples. Hoje em dia, essas teorias estão tão profundamente enraizados nas empresas, que se tornaram indispensáveis e padrões para as organizações. As empresas que não implementaram essas estratégias de melhoria da produtividade já fecharam ou estão fracas demais para sobreviver ao mercado atual.

Hoje, temos uma nova lista de palavras da moda, mas o resultado será parecido. Ao longo dos próximos anos, esses facilitadores tecnológicos serão incorporados nas operações de manufatura em todo o mundo.

Aqueles que participarem dessa mudança deverão combinar diferentes tecnologias, técnicas e estratégias para garantir sua evolução. E, para além das tecnologias e das respectivas palavras da moda, as empresas líderes, como a OPTEL, estão sendo pioneiras dessa tendência, trabalhando para combinar essas novas tecnologias com métodos de engenharia industrial para que os fabricantes possam aproveitar ao máximo essa mudança.

A receita perfeita: coragem, visão, foco

Para construir uma empresa de sucesso é necessário acreditar nela e buscar um padrão de excelência mundial. Como princípio básico, os investimentos necessários sempre parecerão pouco razoáveis no começo e os resultados parecerão demorar para chegar; no entanto, como a maioria dos empreendedores sabe, construir uma empresa de sucesso leva tempo e o retorno sobre o investimento simplesmente não será suficiente nos primeiros anos. É uma longa caminhada, mas o tempo, a energia e os recursos que você investir nessa mudança, juntamente com a dedicação de seus funcionários, estarão proporcionalmente vinculados ao resultado de sua transição e ao nível de seu sucesso.

Dados: uma parte vital da equação

Dados estão no centro dessa nova revolução industrial. Embora essa palavra não seja nova, a influência dos dados está crescendo e é importante entrar no jogo. Você sabia que cerca de 90% de todos os dados do mundo foram gerados em um período de apenas dois anos? A quantidade de dados gerados todos os dias é tão imensa e nossa capacidade de conexão tão sofisticada, que é possível compartilhar instantaneamente informações e ideias pertinentes que antes eram consideradas complexas demais com empresas e pessoas em qualquer lugar do mundo.

Os dados não são apenas prodigiosos, mas também inerentemente poderosos, se soubermos usá-los em combinação com as tecnologias certas. E as vantagens transcendem os setores, abrangendo toda a cadeia de suprimentos, da extração de recursos à produção, transporte, armazenamento, distribuição, até chegar ao usuário final e mais além.

Os dados estão em todos os lugares. Não se afogue neles, use-os!

Conclusão

Uma grande mudança está ocorrendo em escala global. Em tempos de mudanças, é importante lembrar que, às vezes, é necessário renunciar ao controle e manter a mente aberta. Tenha a seu lado os especialistas apropriados e crie seu próprio ecossistema forte de parceiros e fornecedores para atingir suas metas.

De certo modo, todos os setores se caracterizam por complexidades ocultas e pela interdependência dos membros da cadeia de suprimentos. As mudanças que ocorrerem dentro da cadeia de suprimentos certamente afetarão sua organização e suas interações com fornecedores e clientes.

A mudança está chegando. Faça parte do movimento, estabeleça seus objetivos e promova sua própria palavra da moda, refletindo sua meta e facilitando a transição para sua empresa e seu pessoal.